Nanotecnologia: o que é e como faz bem para a minha pele?

A nanotecnologia em cosméticos é uma revolução para a indústria da beleza. Você já deve ter ouvido falar, mas sabe o que é? A nanotecnologia é a tecnologia que permite a manipulação de átomos e que usa técnicas da física, biologia, engenharia de materiais e outras ciências. Com o desenvolvimento dela, muitos produtos foram modificados e melhorados, até mesmo a área dos cosméticos e dermocosméticos sofreram muitas mudanças positivas.

Shampoo, sombras, cremes anti-idade, protetor solar entre outros produtos, já estão na lista dos cosméticos nanotecnológicos. Uma das vantagens da nanotecnologia em cosméticos é o fato de que é possível integrar nanopartículas em cremes, que conseguem penetrar com mais profundidade na pele, pois ultrapassam mais barreiras e potencializam os efeitos hidratante e anti-idade, prometidos nas embalagens.

Estamos falando de pequenas partículas que contém princípios ativos capazes de penetrar nas camadas mais profundas da pele, como apontam artigos científicos. São partículas muito pequenas. Pequenas, mesmo! Para cosméticos é mais comum as empresas adotarem a faixa entre 200 e 500 nm para seus produtos, sendo que 1 nm corresponde a um milésimo de milímetro.

Nos esmaltes a nanotecnologia serve como uma fortalecedora das unhas, pessoas com unhas quebradiças e fracas, as nanopartículas penetram nas unhas fortalecendo-as. Lembrando sempre que as vitaminas das nanopartículas não substituem uma alimentação balanceada e cuidados com a saúde.


Como funciona?

“A promessa é que essas partículas atravessem a barreira da pele, chegando até a derme (camada mais profunda), potencializando o efeito do produto, sendo mais rápido e eficaz”, explica o farmacêutico-bioquímico e professor; com doutorado em Biotecnologia, Afrânio Côgo Destefani. Além disso, a tecnologia pode ser revestida por um envoltório protetor, que é chamado de tecnologia nanoencapsulada e que protege os ativos da oxidação na pele, antes de penetrarem nas camadas mais profundas do tecido.

Produtos com nanotecnologia têm ação mais eficaz em rugas e preenchimentos,
exatamente por conta de sua penetração mais profunda, sem riscos de atingir a
corrente sanguínea. “Quando as moléculas dos princípios ativos dos cremes possuem tamanhos maiores, elas ficam apenas na superfície da pele, protegendo-a da perda de água, tendo efeito puramente cosmético”, aponta o professor Afrânio.